F1 2012 – Mercedes W03

Hoje a Mercedes divulgou as imagens do shakedown que fez com o novo carro em Silverston na última quinta feira.

O Limite de 100 km foi respeitado para que o treino não fosse considerado teste, o primeiro teste oficial será realizado amanhã em Barcelona.

Anúncios

Complexidade e Beleza

Complexo e belo, é uma boa maneira de definir um carro de Fórmula 1, é difícil imaginar quantas peças compõem o sistema, e o quanto cada uma é importante para um bom resultado na pista.

A Mercedez Benz, no seu museu em Surrey – Grã Bretanha, faz uma exposição com diversos itens da categoria, e um dos itens dessa mostra retrata bem a complexidade desses bólidos, trata-se de uma Mercedes GP desmontada, suspensa por fios de nilon. No total são 3 200 peças, permitindo ao visitante ver com detalhes o sistema de freios, a transmissão, o conjunto de direção, entre outros.

(Clique para ampliar)

 

Li no Pipoca de Bits.

Salão do Automóvel (7) – 5ª Edição – 1966

O 5° Salão do Aútomovel, realizado entre 26 de novembro e 11 de dezembro de 1966, coincidiu com o 10° aniversário da implantação da indústria automobilística no Brasil. Foi o ano do lançamento do Ford Galaxie, do Willys Itamaraty Executivo, do Simca Esplanada, do GT Puma e do anúncio de uma nova linha GM, o Chevrolet Opala.

Foi o salão dos protótipos esportivos: o F-3 e W-1300 Bino da Willys, o Carcará (recordista sul-americano de velocidade pura, com 214 km/h) da DKW-Vemag e o GT Onça da Malzoni. No setor dos ônibus, o destaque eram os monoblocos com poltronas-leito da Mercedes-Benz. Muitas novidades nas autopeças, como os faróis de iodo da Cibié.

Salão do Automóvel (6) – 4ª Edição – 1964

A quarta edição do Salão do Automóvel, realizado entre os dias 28 de novembro e 13 de dezembro de 1964, comemorou a marca de 1 milhão de veículos produzidos no país.

A indústria começou a mostrar melhorias mecânicas, como a caixa de câmbio com quatro marchas para frente sincronizadas do Aero Willys 2600, a mistura automática óleo-gasolina da DKW-Vemag, a suspensão pneumática para ônibus da linha FNM, a cabine avançada dos caminhões leves e o eixo traseiro de duas velocidades e reduções dos caminhões pesados Mercedes-Benz.

A Brasinca fazia sucesso com seu GT-4200 Uirapuru e a GM exibia seu novo conceito de utilitário, a perua Veraneio. Envolvidas em modificações radicais de seus produtos, Volkswagen e Ford não participaram.

Salão do Automóvel (5) – 3ª edição – 1962

O 3º Salão do Automóvel celebrou a marca de 97% de nacionalização da fabricação de veículos.

Entre os destaques estavam o Aero Willys 2600 (apresentado também no Salão de Paris), a perua Simca Jangada, o esportivo VW Karmann-Guia, o DKW Fissore, o Scania – Vabis L-75.
A Toyota mostrou seu jipe Bandeirante, a Mercedes-Benz seu primeiro ônibus de turismo (com geladeira e sanitário), a Ford trouxe seu trator 8-BR, a Caterpillar, o modelo Traxcavator e a Huber Warco, a motoniveladora HD.

A partir dessa edição o evento passou a ser bienal.

Salão do Automóvel (3) – 1ª Edição – 1960

O Salão do Automóvel foi montado pela primeira vez em 1960,  entre 26 de novembro e 11 de dezembro daquele ano. Montado no Pavilhão da Indústria e do Comércio do Parque Ibirapuera, o evento recebeu 400 mil pessoas e reuniu as 12 montadoras existentes na época (Willys Overland, DKW-Vemag, General Motors, Ford, FNM, Simca, Volkswagen, Toyota, Romi-Isetta, International Harvester, Scania Vabis, Mercedes Benz) e uma centena de fabricantes de autopeças e acessórios.

Era a época do Aero Willys, do Renault Dauphine, da Rural Willys, da Kombi, do Simca Chambord e Presidence, do FNM 2000 JK e da Chevrolet Amazonas. E um protótipo conversível da Willys, o Saci.