Camping World Truck Series – Kentucky

Eu estava assistindo A Grande Família, curtindo a  TV Diário que agora consigo assistir em casa, quando resolvi mudar pro Speed Channel, pois lembrei que era dia de corrida da Truck Series, onde Nelsinho Piquet corre. Quando o olhei no Painel da TV, faltavam cinco voltas e os pilotos se preparavam para uma relargada.

A relargada aconteceu, e o narrador do Speed empolgado dizia “Olho no Nelsinho e no Paludo!“, mais alguns metros e ele disse algo como “Nelsinho e Paludo, não se toquem, por favor!!!“, pois eles faziam parte de uma das filas triplas na briga por posições.
Quando chegou a curva não deu outra, Nelsinho deu um “totózinho” fatal no Miguel Paludo mandando-o no muro e acabando com a corrida dos brasileiros, a quatro voltas da bandeirada.

Foi mesmo uma pena, deu pra ver no Replay que o Nelsinho segurou ao máximo, sua pickup estava instável e eu tive a impressão que o Miguel Paludo fechou um pouco mais do que deveria a curva.

Nelsinho havia largado na terceira posição e Paludo em décimo primeiro, o vencedor da noite foi Kyle Busch.

Anúncios

Por Falar em Acidentes…

Baseado nas discussões que li após o acidente da Copa Montana, sobre a segurança dos carros desta categoria, achei legal publicar um vídeo que assisti enquanto procurava o video do acidente. Nele, um narrador, em inglês, conta os itens de segurança que foram adicionados aos veículos da Nascar ao longo dos anos, e mostra os acidentes que motivaram tais mudanças.

O último item apresentado foi o “carro de amanhã”, ou algo do tipo, trata-se dos carros que são usaos atualmente, e conta que duvidavam da resistência do carro, até o acidente de Michael McDonnel, na classificação para o GP do Texas de 2008, que acredito ter sido mais grave do que o de Sondermann, e o piloto saiu andando.

Acho que já está na hora de repensarmos o nosso padrão de segurança no automobilismo Nacional.