THE UNION – O maior evento de Computação Gráfica da América Latina

Fui convidado para participar de um evento que  não imaginava o tamanho.

Este ano estou dando meus primeiros passos na área de Design, mudei meu foco profissional e pretendo me especializar nisso, coincidentemente, fui convidado a participar do maior evento de computação gráfica da América Latina, e como qualquer um que cai de pára-quedas, não tinha ideia da grandeza do evento.

Não sabia até agora, que resolvi acessar o site oficial para saber como será o evento que começa daqui a algumas horas.

O evento vai contar com os maiores artistas digitais do mundo e eu já estou ansioso para passar o dia inteiro ouvindo o que cada um tem a dizer.

Assim que puder, postarei algo sobre minha participação no evento.

Anúncios

Codemaster’s F1 2011

Sabe aquele ditado que diz: “Quem sabe fazer, faz bem feito”? Pois é, a Codemasters pode modificar um pouco este ditado, pois além de fazer bem feito no primeiro ano, no ano seguinte fez melhor.

Em 2010, antes do lançamento do F1 2010, a expectativa era grande, já que os gamers fãs de Fórmula 1 estavam órfãos de bons jogos da categoria, não acompanhei muito, mas pelo menos pra mim, o melhor jogo de F1 antes do F1 2010 tinha sido o Grand Prix 4, lançado em 2001 e que resistia bravamente em minha máquina. Eu já havia jogado o Grid, da Codemasters, e comentei, na época, que se o F1 fosse parecido com o Grid, seria muito legal. Eles acertaram e criaram um jogo muito bom, principalmente nos efeitos visuais, mas ao jogá-lo, é possivel notar algumas brechas, típico de início de projeto. Eu senti falta de um HUD que mostre a distânicia para o carro à frente, entre outros pequenos bugs.

Terminada a temporada de 2010, as atenções se voltaram novamente para a Codemasters, para saber como seria o sucessor do grande jogo, passado todo o processo de produção, o jogo já está em pré-venda, vai ser lançado no final do mês de setembro. Ao procurar sobre ele no YouTube, achei vários vídeos sobre a jogabilidade e percebi que está bem melhor.

A Grande Novidade é o Safety Car, que fazia falta nos outros jogos, a princípio foi feito um grande suspense sobre isso. Abaixo, uma sequencia de vídeos que nos deixavam intrigados até a confirmação de sua existência, nesta semana:

O Trailer Oficial:

O Trailer editado, no canal TheGamerrzzzz (fico imaginando quantas vezes esse cara ficou assistido ao trailer pra notar isso, principalmente a última imagem no vídeo, experimente assistir novamente o trailer):

E a foto que Oficializou o Safety Car no jogo:

“Okay, okay, safety car in this years game. Going to be awesome!!” (OK, Safety Car neste ano. Será incrível!). Palavras de Steve Hood (na foto), via Twitter.

Será mesmo Incrível, estou ansioso para o Lançamento!

Saudades – Need for Speed II SE

Essa semana li no blog do meu irmão, o Gasparov Motorsport, uma matéria que ele fez sobre o primeiro jogo de corrida que tivemos contato na era digital, o Need For Speed II SE, da Electronic Arts – que viria a se tornar a EA Sports e daria sequência na saga do jogo. Nós perdíamos horas jogando, batíamos recordes e sabíamos as 8 pistas, salvo engano, decor e salteado, invertido ou simétrico.

Segue o Texto:

“Este foi o primeiro jogo de corrida que joguei para valer! E deve ser por isso que até hoje é um dos meus prediletos. Na primeira vez mal consegui correr no circuito oval, o mais fácil. Mas não era difícil pegar o jeito do jogo. Depois de correr, e vencer, em todas as pistas a graça era correr com traçado invertido. Ou então correr para bater o recorde da pista. o que era meu caso. Eu e meu irmão jogávamos, primeiro para vencermos um ao outro e aumentarmos nosso placar particular, e para quebrar o recorde um do outro. Desde essa época ele já era melhor que eu. Em quase todas as pistas a volta mais rápida era dele. Eu era mais regular e levava vantagem no tempo total da corrida.

As pistas, com variações de dificuldade, eram ótimas. Fazia praticamente todas as curvas usando freio de mão, a forma mais eficiente. As mais difíceis era a Mistic Peaks, no Himalaya, e outra que tinha uma série de cotovelos, se me lembro bem, era North Country. Gostava muito de uma que passava por um túnel e a linha de chegada era na praia, acho que era a Last Resort, no México. Esse era outro detalhe que muito legal, cada circuito tinha uma temática , com variação de ambientes no mesmo circuito. E os carros? Dividos em três categorias diferentes, tinha para todos os gostos. Tinha o Ford Indigo era leve, andava bem, mas se encostasse a roda em algo, rodava ou capotava. Gostava muito do Nazca C2, BMW, andava bem, era leve e tinha ótima estabilidade. O Jaguar XJ220 tinha um motorzão, andava bem mas era muito pesado. A vantagem éra quase nunca rodava. Quando os outros pilotos tentavam nos empurrar para fora da pista, ele era o único que continuava na tragetória. Tinha também a Ferrari F50 e a 355 F1, o Ford GT90 (releitura do clássico GT40). Mas o melhor de todos era o McLaren F1. Era quase um covardia correr com ele. Impossível perder com esse carro.

A trilha sonora, na corrida ou no menu, era o toque final. Variando de acordo com o local dos circuitos era sempre Heavy Metal e Eletônica. Conseguia conciliar muito bem com a adrenalina da disputa e da velocidade da corrida. Por último os vídeos. A introdução era sensacional e alguns carros, os mais rápidos ou sofisticados, tinha um vídeo de apresentação. O meu preferido é do Jaguar, pelo ambiente e a combinação da música Instrumental e Heavy Metal. Abaixo, todos os vídeos do jogo. É uma amostra do que falei neste último parágrafo. Bateu uma saudade…”

O mais legal era que instalamos o jogo em espanhol, e viajávamos com quando o narrador dizia: “Vuelta Más rápida!”, e a cada volta esperávamos apreensivos ele dizer: “Vuelta Récord!”, e quando ele dizia quase pulávamos de alegria. Outro ponto legal do jogo era o modo A Muerte, onde começávamos na pista oval, com 8 carros, e à medida que passavam as etapas o último colocado de cada uma delas era eliminado. Nós disputávamos a competição juntos, e geralmente a disputa ficava para a última etapa, na pista bônus, em Hollywood, onde travávamos um grande duelo. O eliminado recebia a seguinte mensagem do narrador espanhol: “Mui Márte, fue descalificado de la competición a muerte!” ou algo do tipo, peço desculpas aos espanhóis se escrevi errado.

Quando eu descobri os códigos do jogo, ficou ainda mais legal, dependendo o código que colocávamos, podíamos correr com troncos de árvore, veículos do tráfego, como ônibus escolares, caminhões, além das barracas de pipoca, carroças, bondes e qualquer outro  objeto móvel do cenário do jogo.

Bons tempos, aqueles…

F1 2010 – O Jogo

Não sei se vocês repararam, mas o blog está meio às moscas essa semana, e já temos um culpado por isso o Jogo F1 2010!

Codemasters F1 2010

Nesta quinta feira comprei o jogo, instalei logo após chegar da faculdade, e como era de se esperar, perdi a noção do tempo só consegui ir dormir às 4h da manhã, sendo que precisaria estar de pé às 8h.

O jogo é muito bom, gráficos excelentes e jogabilidade interessante, muito parecido com o GRID, jogo de corrida também da Codemasters. É um jogo feito para quem tem um volante, jogando no teclado fica um pouco mais complicado, além disso, pede-se um computador bom, os gráficos exigem bastante da placa de vídeo.

Vale a Pena Comprar!