Novos Ares

Caros amigos.

Foram várias as tentativas de manter este blog, mas as coisas têm ficado cada vez mais difíceis. Tenho um projeto com meu irmão, e para que possamos colocá-lo em prática, precisaríamos falar a mesma língua.

Então, a partir de hoje, os meus posts serão publicados no Gasparov Motorsport.

O conteúdo do Blog di Rafale permanecerá disponível para consulta, mas o blog não será mais atualizado.

Um Grande Abraço

Tempo para voltar a escrever

Olá amigos, após um longo e tenebroso inverno, aqui estou para tirar as teias de aranha do nosso blog.

Desde o final do ano passado, as coisas têm sido cada vez mais difíceis. Provas da faculdade, os trabalhos, as atividades profissionais e a nova namorada deixaram o pobre coitado sem atenção. Os posts programados, as fotos de radar, que ainda tiro pelas estradas afora, foram ficando em segundo e terceiro plano, mas sempre com aquele sentimento no coração: “Preciso escrever no blog”.

Nesta semana, acessei o painel do blog pela primeira vez em quase seis meses, fiquei impressionado que a média de visitas não caiu, isso me animou e agora eu estou empolgado para retomar as atividades.

Ainda esta semana serão publicados novos posts por aqui.

Um Abraço!

Loše Kolizije (2)

Seguindo com a série de Crash Tests, o vídeo seguinte mostra alguns dos crash tests bem sucedidos. É visível a diferença na absorção do Impacto.

É interessante ressaltar que os carros desde vídeo são os que atingem facilmente os 200km/h, portanto fazem bem seu papel de segurança.

Loše Kolizije

O título do post é uma redundância, em uma tradução livre do Croata significa batidas ruins, ou colisões ruins, enfim, não entendo de croata, mas o Tradutor do Google diz que está certo. Apesar de interessante, o título do post não é o mais importante.

Os carros, esses sim fazem parte da nossa vida, muitas da vezes não sabemos o quanto ele é seguro. Para isso foram criados os Crash Tests, que testam fisicamente se o carro aguenta ou não o tranco, os níveis de deformação são medidos pensando na segurança dos ocupantes, e alguns são verdadeiras catástrofes.

Os testes são realizados em várias condições para uma maior abrangência, mas nunca atingem o extremo. O vídeo abaixo, mostra um Crash Test realizado com um Ford Focus a 190km/h, é impressionante o nível de destruição do carro.

Apesar dos pesares, podemos considerar o Focus seguro, se comparado com o Holden Comodore, primeiro colocado do vídeo anterior

THE UNION (2)

Foram dois dias cansativos, nunca tinha participado de um evento neste molde. Eram só palestras, das 9h às 18h, com 1h50m de pausa para almoço.

Chegamos no sábado cedo, por volta das 6h30m, o credenciamento começaria às 7h. O estacionamento estava fechado ainda, fui o terceiro a guardar o carro, uma pequena vantagem que tivemos para a fila do credenciamento, não precisamos esperar muito. Com a credencial na mão teríamos que esperar até às 9h para a abertura das portas. Esse foi o grande pecado da organização, a demanda por credenciamento foi muito grande e às 10h as portas não tinham sido abertas ainda.

Por volta das 10h05 as portas foram abertas e todo o aborrecimento pela espera na fila e pelo atraso acabaram rápido, o auditório do Anhembi tem boa estrutura, e os organizadores souberam se aproveitar disso, um show de luzes e sons nos receberam. Um belo início para o que estava por vir.

O que foi apresentado no evento, as pessoas que apresentaram, são ferramentas invadoras e pessoas com talento saindo pelos poros, tivemos a oportunidade de sentir um pouco do que é a incrível rotina de Hollywood.

 

THE UNION – O maior evento de Computação Gráfica da América Latina

Fui convidado para participar de um evento que  não imaginava o tamanho.

Este ano estou dando meus primeiros passos na área de Design, mudei meu foco profissional e pretendo me especializar nisso, coincidentemente, fui convidado a participar do maior evento de computação gráfica da América Latina, e como qualquer um que cai de pára-quedas, não tinha ideia da grandeza do evento.

Não sabia até agora, que resolvi acessar o site oficial para saber como será o evento que começa daqui a algumas horas.

O evento vai contar com os maiores artistas digitais do mundo e eu já estou ansioso para passar o dia inteiro ouvindo o que cada um tem a dizer.

Assim que puder, postarei algo sobre minha participação no evento.

Comercial TNT Energy Drink – Tony Kanaan

Alguma empresas investem bem na Publicidade, conseguem criar uma identidade apenas por aquilo que dizem ser. Os comercias têm parte importante nessa identidade, a pessoa escolhida para fazê-lo, a música incorporada, entre outros fatores.

A TNT Energy Drink acertou nos seus comerciais, alguns lançados há pouco trazem Luigi Cani, paraquedista; José Aldo, Lutador MMA, além da Banda Tihuana, responsável pela trilha sonora de Tropa de Elite.

A seguir o novo comercial, com Tony Kanaan:

Réveillon em Lagoa Santa

Já há algum tempo planejava visitar minha tia em Minas Gerais, ela sempre me cobrava, mas nunca dava certo.

Este fim de ano deu certo e consegui fazer a viagem para terra Mineira, foram dez horas de viagem, com algumas paradas e trânsito nos arredores de Belo Horizonte, e mais de 600 km percorridos para chegar numa cidadezinha chamada Lagoa Santa.

Capivaras em Lagoa Santa (Foto: Rafael Gaspar/Gasparov Images)

Como o nome já diz, a cidade está às margens de uma lagoa de aproximadamente 4,5km de orla, com cerca de 54 000 habitantes, parte deles sendo de oficiais da Aeronáutica.

Queima de Fogos em Lagoa Santa (Foto: Rafael Gaspar/Gasparov Images)

É uma pena que a estadia seja tão curta, chegamos na sexta e partiremos neste domingo, mas vamos voltar para casa com o prazer de ter passado o ano às margens da Lagoa e ter assistindo uma das melhores queima de fogos que já vi!

Para você estar repassando….

Há alguns anos ganhei o Livro “As Cem Melhores Crônicas Brasileiras”, de Joaquim Ferreira dos Santos, cheguei a ler algumas crônicas, mas não dei a atenção devida a ele, aliás, é o que geralmente tenho feito com os livros que começo a ler, quando era mais novo não os lia porque preferia o computador com meus jogos de corrida, lia apenas alguns capítulos e logo o livro estava de volta à prateleira. Hoje não consigo ler porque tenho que encaixar o serviço, a faculdade, o blog, e outros afazeres que parecem brotar com o único objetivo de consumir tempo, não sei como ainda arrumo tempo para jogar uma ou outra corrida no F1 2011.

Essa semana fiz minha última prova do semestre na faculdade. Legal? Nem tanto, na minha empresa não temos férias coletivas e não temos certeza se vamos parar dia 30, então a correria continua. Mas a parte do tempo que normalmente seria consumida pelo trânsito e afazeres universitários está livre, e espero reanimar este blog que travou no lamentável incidende da Indy que causou a morte de Dan Wheldon, em outubro. Enfim, ao revirar o guarda roupa, achei o livro, dei uma folheada e achei a crônica de Ricardo Freire que intitula este post, trata daquilo que está na lista do que mais me irrita nos atendentes, o Gerundismo.

       “Este artigo foi feito especialmente para que você possa estar recortando e possa estar deixando discretamente sobre a mesa de alguém que não consiga estar falando sem estar espalhando essa praga terrível da comunicação moderna, o gerundismo.
        Você pode também estar passando por fax, estar mandando pelo correio ou estar enviando pela internet.
O importante é estar garantindo que a pessoa em questão vá estar recebendo esta mensagem, de modo que ela possa estar lendo e, quem sabe, consiga até mesmo estar se dando conta da maneira como tudo o que ela costuma estar falando deve estar soando nos ouvidos de quem precisa estar escutando.
        Sinta-se livre para estar fazendo tantas cópias quantas você vá estar achando necessárias, de modo a estar atingindo o maior número de pessoas infectadas por esta epidemia de transmissão oral.
        Mais do que estar repreendendo ou estar caçoando, o objetivo deste movimento é estar fazendo com que esteja caindo a ficha das pessoas que costumam estar falando desse jeito sem estar percebendo.
        Nós temos que estar nos unindo para estar mostrando a nossos interlocutores que, sim, pode estar existindo uma maneira de estar aprendendo a estar parando de estar falando desse jeito.
        Até porque, caso contrário, todos nós vamos estar sendo obrigados a estar emigrando para algum lugar onde não vão estar nos obrigando a estar ouvindo frases assim o dia inteirinho.       

        Sinceramente: nossa paciência está ficando a ponto de estar estourando. O próximo “Eu vou estar transferindo a sua ligação” que eu vá estar ouvindo pode estar provocando alguma reação violenta da minha parte. Eu não vou estar me responsabilizando pelos meus atos.
        As pessoas precisam estar entendendo a maneira como esse vício maldito conseguiu estar entrando na linguagem do dia-a-dia.
        Tudo começou a estar acontecendo quando alguém precisou estar traduzindo manuais de atendimento por telemarketing. Daí a estar pensando que “We’ll be sending it tomorrow” possa estar tendo o mesmo significado que “Nós vamos estar mandando isso amanhã” acabou por estar sendo só um passo.
        Pouco a pouco a coisa deixou de estar acontecendo apenas no âmbito dos atendentes de telemarketing para estar ganhando os escritórios. Todo mundo passou a estar marcando reuniões, a estar considerando pedidos e a estar retornando ligações.
        A gravidade da situação só começou a estar se evidenciando quando o diálogo mais coloquial demonstrou estar sendo invadido inapelavelmente pelo gerundismo.
        A primeira pessoa que inventou de estar falando “Eu vou tá pensando no seu caso” sem querer acabou por estar escancarando uma porta para essa infelicidade linguística estar se instalando nas ruas e estar entrando em nossas vidas.
       Você certamente já deve ter estado estando a estar ouvindo coisas como “O que cê vai tá fazendo domingo?” ou “Quando que cê vai tá viajando pra praia?”, ou “Me espera, que eu vou tá te ligando assim que eu chegar em casa”.
        Deus, o que a gente pode tá fazendo pra que as pessoas tejam entendendo o que esse negócio pode tá provocando no cérebro das novas gerações?
        A única solução vai estar sendo submeter o gerundismo à mesma campanha de desmoralização à qual precisaram estar sendo expostos seus coleguinhas contagiosos, como o “a nível de”, o “enquanto”, o “pra se ter uma idéia” e outros menos votados.
        A nível de linguagem, enquanto pessoa, o que você acha de tá insistindo em tá falando desse jeito?”
Ricardo Freire

Este post tem o único intuito de estar me reanimando para estar recomeçando a escrever novamente, pois estar escrevendo é uma das coisas que podem estar nos gratificando muito.